Portal da Cidade Dourados

IMPASSE

Reunião do Conselho Universitário da UFGD movimenta prédio da reitoria

A presidente do Couni e reitora temporária que não compareceu à reunião havia solicitado reforço policial alegando insegurança

Postado em 26/09/2019 às 15:32 |

Políciais foram convocados pela reitoria, que justificou evitar tumulto durante a reunião. (Foto: Divulgação)

A reunião foi presidida pelo membro mais antigo do conselho. (Foto: Divulgação)

A sala ficou pequena para os participantes . (Foto: Divulgação)

A reunião teve que continuar no auditório da unidade 1. (Foto: Divulgação)

A reunião foi acompanhada por advogados da OAB. (Foto: divulgação)

Uma reunião do Conselho Universitário da UFGD movimentou o prédio da reitoria na manhã desta quinta-feira (26). A presidente do Couni e reitora temporária da Universidade, Mirlene Damázio, não compareceu alegando insegurança. 

Em nota divulgada por Mirlene, por meio da assessoria, ela diz que "muito embora tenha sido apurado o quórum necessário para instauração de plenária, não houve apuração de regularidade de ocupação e acomodação dos conselheiros, nem a ordem e decoro necessários, sendo observada a invasão de pessoas com instrumentos musicais, balões e gritos, bem como a falta de segurança necessária para que a mesma ocorresse com regularidade de procedimentos." Disse ainda que a reunião teria sido cancelada e transferida para o dia 4 de outubro.

Mas quem participou da reunião falou que a mesma foi concluída, que foram discutidos e votados todos os itens da pauta pelos conselheiros que se fizeram presentes, alcançando quórum necessário. Na ausência da presidente do Couni, vice e dos pro reitores, a reunião foi presidida pelo membro mais antigo do conselho Sidnei Azevedo. Começou em uma sala que ficou pequena para acomodar a todos e teve que ser levada para o auditório da unidade 1.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais informou ao Portal da Cidade Dourados, que existe um calendário de reuniões ordinárias do Couni aprovado no começo do ano, que vem sendo desrespeitado:

" Estávamos há mais de 2 meses sem reunião e diversas demandas administrativas atrasadas. O Conselho Universitário é o local de discussões e de decisões máximas dentro da universidade e não estão sendo respeitadas as decisões ali tomadas." disse a coordenadora do Sintef, Andressa Casari.

Informou ainda que mesmo que a reitora temporária faça uma nova convocação da reunião, terá que ser feita com pautas novas e de forma extraordinária, porque a ordinária já foi realizada conforme regimento.

O reitor eleito na última consulta prévia, Etienne Biasotto, acompanhou a reunião e lamenta estar fora do cargo mesmo tendo uma decisão judicial favorável à lista tríplice, que foi considerada irregular pelo MEC:

" Infelizmente estão descumprindo a lei por questões políticas. Muito triste o que as universidades estão sofrendo." disse Etienne ao Portal da Cidade Dourados.

SEGURANÇA

A Guarda Municipal e as Polícia Militar e Federal foram convocadas, por meio de ofício pela reitora temporária, para reforçar a segurança na reunião, alegando o risco de invasões e até mesmo de algum tipo de violência.

O comando da Guarda Municipal informou ao Portal da Cidade Dourados que os guardas foram até o local e que inicialmente  foram abordados por participantes que pediram que fossem embora porque estariam causando constrangimento e até assustando os alunos. Mas os militares ficaram no prédio conforme solicitado pela reitoria e disseram que em nenhum momento inibiram a liberdade de expressão dos manifestantes.

A Força Tática, Getam e a Polícia Federal chegaram em seguida e a segurança foi feita até às 11h. Informou que apesar de algumas manifestações não houve nenhuma ocorrência grave no local e que a ordem foi mantida após a reunião.

NOTA DO CONSELHO UINIVERSITÁRIO

Durante à tarde, o Conselho divulgou uma nota dizendo que não reconhece a professora Mirlene Damázio como reitora da UFGD, tendo em vista que a lista tríplice está válida juridicamente. Aponta ainda a falta de diálogo e de respeito com uma escolha democrática.      

Fonte:

Deixe seu comentário